quarta-feira, 11 de junho de 2014

"O Jardim das Torres Invisíveis", de Qais Akbar Omar (Opinião)

Não é um livro de fácil digestão e talvez por isso tenha demorado tanto tempo a lê-lo. Ao retratar as últimas três décadas da história recente do Afeganistão, com epicentro em Cabul, nesta autobiografia o autor coloca-nos perante a crueldade e desumanidade que um cenário de guerra alimenta.

Está é a história de um menino que se faz adolescente e homem durante sucessivos conflitos, que o levaram a si e à sua numerosa família numa fuga mal sucedida por todo o Afeganistão.

Faz-nos pensar que o nosso conceito contemporâneo de "liberdade" enquanto ocidentais em nada se assemelha aos desejos e aspirações destes povos islâmicos, sucessivamente paralisados pela guerra, política ou religião.

É uma história simples, que, como o próprio afirma, podia ser a história de qualquer família afegã que permaneceu na sua pátria durante a(s) guerra(s). Não é uma história fácil porque é verdadeira, aconteceu mesmo e não devia ter acontecido.

✰✰✰✰ (4 em 5)